FAQ

O que é construção modular?

Construção modular é aquela produzida e entregue em partes sendo que o processo de construção se realiza fora do  canteiro de obras. Cerca de 80% da obra é executada numa fábrica, sob condições controladas. Depois os módulos são transportados, montados e finalizados no canteiro, resultando em ganhos de prazos, isto é: mais velocidade de construção. Também podendo ser  parcialmente  desmontados e remontados em novos locais.

Quais materiais são utilizados?

O sistema modular utiliza o aço médio como estrutura e o fechamento externo é feito com painéis cimentíceos, estruturados sobre perfis de aço galvanizado leve. O fechamento interno é feito com chapas de gesso acartonado e o isolamento termoacústico pode ser feito com mantas de lã de vidro ou de pet.

Quais são as medidas/tamanho padrão dos módulos?

O tamanho padrão é de 3,20m x 3,20m podendo também ser produzido com 3,20m x 6,40m.

É possível produzir com outras medidas?

Sim. As medidas podem variar conforme a necessidade, entretanto é melhor padronizá-las a fim de se obter maior produtividade.

Há limites de altura e área total?

É possível alcançar até quatro pavimentos, mas área total pode crescer indefinidamente sem limites.

É necessária autorização especial para construir com esta tecnologia?

Não. Mas, como qualquer tipo de construção é necessário obter licenças (alvarás) junto aos órgãos públicos, tais como prefeituras e suas secretarias como a de urbanismo e meio ambiente.

Qual é o preço deste tipo de construção?

Obviamente o preço é determinado em função de vários fatores, mas a partir de R$1.300,00/m2 já se pode comprar uma unidade habitacional com bom acabamento e conforto, por exemplo.

O que não está incluso no preço unitário?

Como na construção convencional a formação do custo unitário básico (preço por metro quadrado) não considera: fundações, cortinas de contenções, paredes-diafragma, submuramentos, tirantes, rebaixamento de lençol freático; elevadores e escadas rolantes; mobiliário, equipamentos e instalações (fogões, aquecedores, bombas de recalque, incineração, ar-condicionado, calefação, ventilação e exaustão, dentre outros relacionados com eficiência hídrica e energética); obras e serviços complementares no entorno, tais como: infraestrutura e redes externas (água, esgoto, drenagem e energia), urbanização, recreação (playground, piscinas, quadras de esporte), paisagismo; instalação e regulamentação do condomínio; impostos, taxas e emolumentos cartoriais; projetos de arquitetura, estrutura e instalações; transporte e içamento dos módulos.

A empresa pode executar os serviços complementares não inclusos no custo unitário básico?

Sim. Todos os materiais e serviços complementares podem ser fornecidos pela Modulare conforme for necessário.

Consigo preços melhores para grandes quantidades?

Sim. Sempre que houver ganho de escala, ganha-se também na redução dos custos que podem resultar em menores preços.

Posso fazer melhorias, reformas e ampliações?

Sim. Melhorias podem ser implementadas, tanto durante como após a obra entregue. Reformas e ampliações podem ser facilmente executadas.

É preciso acesso especial para entrega e instalação?

Cada local deve ser previamente analisado quanto ao acesso para os caminhões e guindastes. Na maior parte dos casos não são encontradas dificuldades.

As normas técnicas são as mesmas que a construção convencional?

Sim, algumas delas. As normas técnicas aplicáveis são na maior parte as mesmas que se aplicam às construções convencionais.

Como ficam as garantias deste tipo de construção?

As garantias aplicáveis são as mesmas aplicáveis às construções convencionais.

Quanto tempo leva para uma unidade ficar pronta?

Isto depende de várias características da obra a ser produzida, tais como área, altura e acessórios, mas de um modo geral leva cerca de um terço do tempo de uma construção convencional, podendo ser ainda mais rápido, dependendo da quantidade e condições locais.

Qual é a vida útil de uma obra com esta tecnologia?

A vida útil de projeto da estrutura deve alcançar ao menos 50 anos, desde que sejam atendidas as manutenções previstas no manual de uso, operação e conservação.

Ao final da vida útil, posso reciclar os componentes?

A maior parte dos componentes pode ser reaproveitada ou reciclada como é o caso do aço, do vidro, do alumínio, do gesso ou das chapas cimentíceas.

Qual é consumo de água e energia requerido por esta tecnologia?

O consumo de água e energia está sendo levantado com precisão, mas já se sabe que é muito baixo. Estima-se que não passe de 20% do que consome um sistema convencional.

Quais tipos e quantidades de resíduos são gerados neste tipo de construção?

A maior parte dos resíduos gerados não tem origem nos materiais, mas provém das embalagens dos materiais, por exemplo, caixas de papelão e sacos de plástico. Estima-se que menos de 1% de parte dos componentes precisem  ser reaproveitados ou reciclados.

Este tipo de construção é tão seguro, confortável e durável quanto uma construção convencional?

Sim. O desempenho é tão seguro, confortável e durável quanto a construção convencional, atendendo aos requisitos e critérios das normas ABNT, inclusive a NBR 15.575:2013.

É fácil fazer manutenção neste tipo de construção?

Sim. Há grande acessibilidade e facilidade para se realizar manutenções. A maior parte dos materiais já é encontrada com facilidade, sobretudo nas grandes cidades.

Como posso conhecer uma obra executada com esta tecnologia?

No Câmpus Ecoville da UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná na cidade de Curitiba existem dois protótipos que podem ser visitados mediante prévio agendamento.